InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Carta ao Parlamento Referente às Incapacidades de Luta do Clero

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Manuel B. Queiroz
Nobreza
avatar

Mensagens : 1741
Localização : Aveiro, Condado de Coimbra, Portugal
Actividade : Padeiro

MensagemAssunto: Carta ao Parlamento Referente às Incapacidades de Luta do Clero   Seg 07 Maio 2012, 20:19

Sylarnash escreveu:

    Aos ilustres parlamentares


    Muy honrados conselheiros e governadores,

    Apesar da minha já extensa viagem por terras internacionais, chegou à minha atenção que se discute, nas discussões relativas ao quinto livro da Constituição Portuguesa, a necessidade de inclusão ou exclusão dos membros do clero nas convocações para a defesa do território nacional através do serviço militar.
    Uma vez que possuo um largo conhecimento na área militar, conhecimento este ganho através da experiência e dos longos meses a trabalhar militarmente para os exércitos e para instituições nacionais, e uma vez que sempre acompanhei, também, O Altíssimo e os afazeres da vida religiosa, agora mais recentemente através da quinta-essência divina (nível 3 e ordenação), gostaria que estas minhas palavras fossem tidas em conta na decisão e explanação aos ilustres parlamentares do que é verdadeiramente requerido na tentativa de inclusão dos membros do clero na via militar.

    Inicialmente gostaria de fazer entender que os membros do clero estão divididos em membros do "Baixo" Clero e os membros do Alto Clero. Os primeiros não são portadores da quinta-essência divina (i.e. são níveis inferior a 3, não são da via religiosa ou não são ordenados), estes poderão e são considerados clérigos quando detêm um cargo, ou se preferirem, uma missão na comunidade religiosa que não requer a quinta-essência divina, poderão ser por exemplo: Embaixadores, Diáconos, Professores, Inquisitores, Tradutores. Já os clérigos do Alto Clero, estes detém cargos de uma mais elevada índole junto dO Altíssimo e da comunidade religiosa e são portadores da quinta-essência divina, e ao contrário primeiros onde o porte de armas e a sua inclusão na vida militar é opcional, os membros do Alto Clero possuem um voto de não portar armas.

    É, portanto, de todo inconcebível que se considere sequer a inclusão dos membros do clero na vida militar. E, ainda mais incorrecto é a passividade com que se requer um documento que comprove a impossibilidade dos membros do clero de portar armas. Todos assistimos em algum ponto da nossa vida a cerimónias como Ordenações ao Sacerdócio ou Elevações a Bispo, nestas últimas onde são confirmados os votos tidos nas primeiras, entre os votos: - o Voto de não portar armas -.
    Ao contrário das restantes vias, o clero é na sua grande parte impossibilitado de portar armas e participar numa guerra devido aos votos sacramentais que possuem, e independentemente da sua motivação perante a situação geradora da guerra. De uma forma muito prática, da mesma forma que os membros da via estado produzem pontos e trabalham nas auditorias, ajudando assim a comunidade, da mesma forma que os membros da via da ciência, na sua grande parte médicos, estão habilitados a produzir certificados de falecimento, da mesma forma que os membros da via exército podem criar pontos de exército ajudando na gestão dos membros, os membros da via igreja possuem cargos e executam as suas tarefas ajudando a comunidade, seja nas cerimónias eucarísticas seja ao dar sacramentos aos fieis.

    É compreensível a necessidade de homens para defender o território nacional, acredite, entendo essa necessidade, também entendo o esforço, o trabalho e a dedicação que se requer tanto na organização como na estratégia bélica, contudo os membros do clero escolheram ajudar a comunidade de uma maneira diferente da que, segundo me foi dito, Dom Thorii almeja para o reino.
    Depois de tudo o que foi dito, explicando a impossibilidade dos membros do clero de se juntarem à defesa militar, apesar de serem perceptíveis os pontos de vista por mim levantados, julgo que ainda, do ponto de vista de alguns será necessário um documento que assim o comprove, apesar disso, não trarei aqui quaisquer cópia ou documento onde isso seja contido por uma simples razão. O Reino de Portugal detém várias bibliotecas, umas particulares outras de carácter público e onde nas quais se mantém cópias dos livros da igreja. Recomendo no entanto que se proceda à leitura dos vários livros e documentos religiosos existentes, neste caso o mais apropriado para sanar algumas dúvidas é o "Livro 1.4 - Ordenação e Elevação ao Sacerdócio" que é parte integrante do Direito Canónico, este é possível ser encontrado na Biblioteca Portuguesa na Ala de Aristóteles, em contra partida a Igreja de Portugal mantém também um excelente conjunto literário sobre Jah, chamado o Capítulo do Repositório.

    Subscrevo com os melhores cumprimentos fraternos,



      Monsenhor Sylarnash Manuel de Albuquerque
      Cónego da Diocese de Coimbra

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Carta ao Parlamento Referente às Incapacidades de Luta do Clero
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Épocas de exames para carta de caçador
» Preciso De testes da carta de caçador......
» Carta A2 XT600
» carta de caçador
» exames carta de caçador

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Castelo do Rochedo | Condado de Óbidos :: Súburbios :: Quadro dos Anúncios e Comunicados-
Ir para: